Aromaterapia

A utilização de plantas e seus óleos para fins medicinais é algo milenar ao redor do mundo. Diversas tribos utilizavam ervas para produzir chás, e passar pelo corpo através da massagem. Entretanto a aromaterapia passou a ser estudada como medicina complementar por volta de 1928.

A aromaterapia é considerada como uma terapia complementar e pode ser indicada para tratar problemas como ansiedade, depressão, dores no corpo, má circulação sanguínea entre outros. Antes de iniciar qualquer tratamento com aromaterapia ou outra terapia alternativa, caso tenha algum problema crônico é importante informar o seu médico e o terapeuta para que nenhum tratamento possa prejudicar o outro.

A aromaterapia é aplicada através dos óleos essenciais, óleos altamente concentrados extraídos de flores, frutas ou plantas com propriedades terapêuticas. Esses óleos podem ser utilizados através de massagens, cosméticos ou sprays para aromatizar ambientes. Seus benefícios são essencialmente relaxantes acarretando em outros benefícios indiretos como alívio de stresse, melhora na circulação sanguínea, diminuição da pressão arterial entre outros.

O aroma é um sentido muito importante e ligado aos demais. Sentir o cheiro de uma comida saborosa pode despertar o apetite, sentir o perfume que uma pessoa próxima usa pode trazer diversas lembranças. Por conta disso que a aromaterapia muitas vezes pode ser utilizada de forma complementar aos tratamentos psicológicos.

aromaterapia

Fonte: Beleza e Saúde

Anúncios

Crudivorismo

Você já ouviu falar em crudivorismo?

Há alguns anos as informações e o número de adeptos a dietas como vegetarianismo e veganismo vem aumentando cada vez mais. Porém, um tipo de dieta ainda pouco disseminado também vem crescendo.

O crudivorismo afirma que o processo de cocção extrai muitos nutrientes dos alimentos. Desse modo os crudivoristas se alimentam a base de frutas e vegetais in natura. Vale ressaltar que nem todos são veganos e vegetarianos, alguns crudivoristas também se alimentam de derivados do leite, e carnes cruas em pratos como steak tartar e sushi.

Profissionais da área de nutrição reconhecem que processos como descascar os alimentos, cozinhar, congelar ou armazenar por muito tempo acarretam na perda de algumas características do alimento e seus nutrientes.

Vale lembrar também que alguns nutrientes agem melhor sobre o organismo quando aquecidos como é o caso do licopeno e do betacaroteno, nutrientes que ajudam no sistema imunológico e elasticidade da pele. Esses nutrientes são encontrados em alimentos como tomate e cenoura e são potencializados quando aquecidos.

alimentos

 

Fonte: Viva Saúde

Cuidados com a pele no Inverno

Com a chegada do inverno, frio e o tempo seco podem afetar nosso sistema imunológico e ressecar bastante a pele. Para evitar que a pele fique sensível e com aparência ressecada valem alguns cuidados especiais para o frio:

1 – Evite banhos com água muito quente e demorados. Longos banhos quentes podem agravar o ressecamento da pele nos dias mais frios.

2 – Use cremes hidratantes após o banho e ao longo do dia. Manter a pele hidratada, além dar um melhor aspecto estético pode evitar que a pele fique sensível. Vale também tomar cuidado com os lábios com protetores labiais à base de manteiga de cacau, por exemplo. Além de muito incomodo, o ressecamento dos lábios pode deixá-los mais propensos às bactérias.

3 – Consuma líquido. Se preferir, tome chás e caldos para manter-se hidratado e aquecido. A recomendação de ingerir pelo menos dois litros de água diariamente contínua em todas as estações do ano.

4 – Pratique atividade física. Apesar de o instinto no frio despertar a vontade de ficar estático, praticar atividade física e alongamentos pode evitar dores musculares, comuns nos dias mais frios. Além disso, é uma excelente época para manter o corpo aquecido enquanto queima calorias.